Número Azul: 808 919 800

Gaivotas

Gaivotas causam incómodo e danos graves

No seu meio ambiente as Gaivotas podem provocar danos em outras colónias de aves, já que se podem alimentar de ovos e crias, podendo ainda provocam incómodo e danos graves ao ocupar áreas humanizadas.

As gaivotas vivem em colónias

As gaivotas são aves gregárias que vivem em colônias (de dimensão variada). Contudo, por vezes podem ser encontrados casais isolados. São animais monogâmicos, ou seja, acasalam para toda a vida, embora os casais apenas se reúnam durante a época da nidificação. Em abril-julho acontece a nidificação e as fêmeas põem entre 2 a 4 ovos.

Os ovos de gaivotas são branco azulados, esverdeados ou cor de azeitona, e a incubação é feita por um dos pais, principalmente a mãe. Em 26-32 dias nascem os filhotes, que são criados por ambos os pais.

Um dia após terem nascido podem deixam o ninho, embora permaneçam nas proximidades sob a proteção dos pais.

As gaivotas podem viver até aos 30 anos, embora a mortalidade juvenil seja muito elevada.

As gaivotas são onívoras

A dieta das Gaivotas baseia-se principalmente em peixes, invertebrados marinho e terrestre, embora também possam ser alimentadas miudezas de peixes e pássaros, sementes, folhas ou lixo. Por vezes também caçam mamíferos, répteis, ou crias e ovos de outras espécies de aves que nidificam no chão.

As Gaivotas nidificam em lugares inacessíveis

Em populações naturais, as gaivotas, geralmente nidificam em ilhotas, pedras ou rochedos. No entanto, nos últimos anos, em que a alta densidade de indivíduos em populações naturais levou a uma escassez de locais de procriação, fez com que estas aves estabelecessem as suas áreas de nidificação em áreas humanizadas.

Nestas áreas, geralmente constroem os ninhos em lugares inacessíveis, com sombras abundantes e recantos, como por exemplo, telhados, chaminés, terraços e telhados quase planos e cobertos com cascalho ou vegetação.

As Gaivotas podem provocar danos graves

 

O aumento das populações de gaivotas deve-se ao facto de terem aprendido a explorar as fontes de alimentação humana: resíduos de descargas dos pequenos navios de pesca, que são recursos estáveis e inexistentes até há três décadas atrás. Isto significa que a densidade de indivíduos é crescente e as colónias deslocam-se para áreas povoadas na procura de alimento e habitat.

No ambiente natural, as gaivotas podem causar danos a outras colónias, caçando as suas crias e ovos. As gaivotas também podem danificar plantações, pois alimentam-se de uvas e azeitonas. A sua presença também pode contaminar água potável, já que podem transmitir microrganismos nocivos para a saúde humana.

Sendo aves gregárias e barulhentas, a sua presença tende a causar desconforto em áreas urbanas, pelo ruído e “roubo” de comida. A nidificação em edifícios, geralmente causa desconforto por causa dos voos de intimidação ou da sujidade pela acumulação de excrementos. 

 

Os nossos cookies são utilizados para melhorar a experiência do utilizador.