Número Azul: 808 919 800

Pombos

Os Pombos são um problema de saúde pública

Infelizmente, os Pombos e outras espécies de aves, também podem ser considerados Praga quando se “vivem” com o homem, já que podem ser transmissoras de doenças e parasitas, danificar edifícios ou contaminar alimentos.

O Pombo das rochas (Columba livia), habitualmente encontrado em ambiente urbano, pesa de 315 a 410 gramas e mede de 29 a 37 centímetros. A distribuição mundial original desta espécie é difícil de determinar pela sua longa história de domesticação. Atualmente esta espécie apresenta uma distribuição vasta, que inclui todos os continentes com exceção da Antártida.

O seu aspeto varia muito, sendo que a cor do corpo pode variar entre: cinzento, branco, negro e bronze. A cabeça é escura e geralmente tem uma iridescência verde-púrpura.

Os Pombos acasalam para toda a vida

Os pombos são animais monogâmicos, ou seja, só têm um par. Nesta união, ambos os progenitores cuidam dos ovos e das crias. O ninho dos pombos consiste em ramos e ervas que se juntam numa base simples/frágil, assente em diferentes superfícies: prateleiras, árvores, sótãos, etc. Após a fecundação, as fêmeas depositam no ninho 1 ou 2 ovos que eclodem aproxidamente 18 dias depois. As crias dos pombos chamam-se “borrachos” e são alimentados pelos pais durantes os primeiros dias com uma substância que os pais regurgitam, de consistência pastosa e rica em proteínas e gorduras. Mais tarde são alimentados por diversos alimentos previamente amolecidos. Os filhotes abandonam o ninho 3 a 5 semanas após o nascimento.

Os pombos podem efetuar 2 a 3 posturas por ano, em qualquer estação, mas o pico de reprodução dá-se na primavera e outono.

A esperança de vida dos pombos silvestres pode ser superior a 15 anos, enquanto que os pombos urbanos podem viver de 3 a 5 anos.

Os Pombos alimenta-se de qualquer coisa

Os pombos alimentam-se de desperdícios, sementes, frutas e, em geral, qualquer resto de alimento proporcionado por pessoas de forma intencional ou acidental. Como as demais aves, possuem uma estrutura denominada moela ligada ao estômago que tem a função de triturar finamente o alimento ingerido. Esta função é muito importante, sobretudo em aves que ingerem sementes ou outros alimentos duros, pois as aves não têm dentes para triturar os alimentos. Além disso, os pombos ingerem pedrinhas ou areia que se acumulam na moela e servem para amolecer o alimento e facilitar a sua trituração.

Um Pombo pode ingerir diariamente 15% do seu peso em alimento (aproximadamente 60 gramas) e conseguem suportar vários dias sem comer.

Os Pombos bebem água como os humanos

A maioria das aves não são capazes de beber água por sucção, mediante movimentos de contração (ou peristálticos) da musculatura do esófago como faz o ser humano. Pelo que bebem levando a boca à água e levantando repetidamente a cabeça, para fazer com que a água baixe para o esófago por gravidade. Os pombos, ao contrário, são das poucas aves capazes de beber agua pelo bico, através de sucção e sem levantar a cabeça.

Os Pombos vivem em cidades e áreas rurais

O Pombo encontra-se nas cidades e em áreas rurais. Nas cidades frequentam parques e zonas próximas de alimentos. Nas áreas rurais habitam nos pátios, estábulos, capoeiras, celeiros, moinhos, etc.. Têm hábitos rotineiros, por isso alimentam-se, fazem ninhos e descansam nos mesmos locais diariamente.

Os Pombos são um problema para a saúde pública

As aves são uma fonte comum de transmissão de doença por contaminação alimentar, além de poderem contaminar o alimento diretamente com matéria fecal, penas ou parasitas. Por exemplo, sabe-se que os pombos podem transportar nas suas patas bactérias como a salmonella, podendo transmitir a bactéria quando caminham em áreas onde as pessoas colocam os seus alimentos, como bancos ou mesas situadas ao ar livre.

Os pombos também são hospedeiros de vários ectoparasitas que podem afetar as pessoas, como o percevejo do ninho do pombo (Cimex columbarius), a carraça do pombo (Argas reflexus), a pulga do pombo (Ceratophyllus columbae) ou várias espécies de piolhos ou ácaros, que se podem introduzir nas casas a partir dos ninhos construídos perto dos edifícios ou vivendas.

Descubra as nossas medidas de exclusão para manter os pombos afastados.

 

 

Os nossos cookies são utilizados para melhorar a experiência do utilizador.